Dicas de PHP

1. Utilize os operadores === e !==

Essa muita gente desconhece e pode evitar muito tempo perdido com debug. Algumas funções do PHP retornam tanto um valor booleano como um valor inteiro, principalmente funções que tratam strings. E no caso de você querer verificar se a função retornou false e a mesma retornar 0. Como vocês sabem, 0 e false no PHP, em uma condicinal, significam a mesma coisa. Para esses casos, utilizamos os operadores === e !==. Esses operadores comparativos retornam true apenas quando os valores comparados são iguais e do mesmo tipo.

function validaUrl( $url ) {
    $pos = strpos( $url, 'http://' );
    if( $pos === false ) $url = 'http://' . $url;
    return $url;
}
echo validaUrl( 'www.daviferreira.com' );
echo validaUrl( 'http://www.apple.com' );

2. isset() brincando de strlen()

Aprendi faz pouco tempo, mas já a utilizo bastante. Primeiro porque, para verificar o tamanho de uma string, função isset é aproximadamente cinco vezes mais rápida do que a strlen. E segundo porque, caso a variável não exista, isset ainda funciona enquanto que strlen retornaria um erro.

if( !isset( $senha[5] ) ) {
   echo 'Sua senha deve possuir no mínimo 6 caracteres!';
}

UPDATE: Mais informações nesse link – dica do leitor André Molin.

3. Evitando aquele maldito erro dos Ifs

Sabe quando você esquece um sinal de igual usando if. Por exemplo: if( x = 1 ). Este exemplo retornaria sempre true e o PHP não acusaria nenhum erro. Existe uma maneira fácil de resolver isso, simplesmente mudar a variável de posição, como no exemplo abaixo. Neste caso, um if( 1 = x )resultaria em erro.

if ( 5 == $area ) {
   echo 'Você está no menu 5.';
}

4. Zeros à esquerda (e à direita também!)

Utilizo muito essa dica em sistemas de cadastro de produtos, com códigos internos da loja. Geralmente o cliente pede para preencher o número com zeros ou algum outro caractere somente para impressão. A função str_pad faz isso pra gente. Ela recebe quatro parâmetros: a string a ser preenchida, o número de espaços a serem preenchidos, o caractere utilizado no preenchimento e a posição (LEFT, RIGHT ou BOTH – esquerda, direita ou ambos). No caso do número de espaços ser menor do que o tamanho da string, a função não faz nada.

echo str_pad( '9', 10, '0', STR_PAD_LEFT ); // 0000000009

5. Com vocês, a função list()

Ah, não sei porque vivo esquecendo esta função! Talvez porque a maneira como é chamada seja pouco intuitiva. A falta de padrão no PHP é irritante às vezes (strpos e str_pad, por exemplo). Enfim, o que ela faz é pegar os valores de um array e criar variáveis com eles.

$localizacao = array( 'Brasil', 'RJ', 'Rio de Janeiro', 'Centro' );
$list( $pais, $estado, $cidade, $bairro ) = $localizacao;

// índices não-numéricos
$bd_config = array();
$bd_config['usuario'] = 'root';
$bd_config['senha'] = 'root';
$bd_config['banco'] = 'teste';
list( $usuario, $senha, $banco ) = array_values( $bd_config );

6. Esqueça (de vez) o ‘?>’ no final dos arquivos

É isso mesmo! O “?>” no final dos arquivos PHP é desnecessário. E você deveria parar de utilizá-lo. Utilizando o fechamento, qualquer espaço em branco ou caractere estranho poderá gerar um erro no browser, no conteúdo exibido. Sem o fechamento seria retornado um erro pelo parser do PHP.

7. Métodos em cadeia

Desde o lançamento da versão 5 do PHP com melhorias na orientação a objetos é possível encadear métodos de uma classe. Para funcionar, essa dica necessita que seu método retorne um objeto. No exemplo abaixo, através do encadeamento de métodos o sistema valida o login de um usuário.

class usuarios {
  var $email;
  var $senha;
  var $erro;

  function __construct( $email, $senha ) {
    $this->email = $email;
    $this->senha = $senha;
    $this->erro  = NULL;
  }

  function criticaDados() {
    if( !$this->email ) $this->erro ='E-mail inválido';
    elseif( !isset( $this->senha[6] ) ) $this->erro = 'Senha inválida';
    return $this;
  }

  function login() {
    if( is_null( $this->erro ) ) {
      return true;
    } else {
      return $this->erro;
    }
  }

}
$oUsuario->criticaDados()->login();

8. Par ou ímpar?

Tá bom, pode ser boba, mas em alguns casos é muito útil. O operador matemático % retorna o resto de uma divisão, portanto, podemos utilizá-lo para descobrir se um número é par ou ímpar. No exemplo abaixo, é gerada uma lista HTML alternando a classe dos ítens.

$count = 1;
for( $i = 0; $i < = 10; $i++ ) {
    if( $count%2 ) {
        $classe = 'normal';
    } else {
        $classe = 'alt';
    }
    echo '<li class="' , $classe, '">teste</li>"';
    $count++;
}

9. echo ‘Olá’, ‘Mundo’;

Além de ficar mais bonito esteticamente, esse método pouco utilizado de concatenamento da função echo é tambem mais rápido em termos de performance do que o tradicional concatenamento com pontos.

    echo '<table class="resultado">',
             '<tr>',
             '<td>' . $cidade. '</td>',
             '<td>' . $estado . '</td>',
             '<td>' . $pais . '</td>',
             '</tr>',
             '</table>';

10. Ordenando arrays por um índice

O PHP possui algumas funções nativas para ordenamento de arrays simples, mas e se for preciso ordenar por um índice específico em um array um pouquinho mais complexo? Pra esses casos existe a função usort. O que ela faz é ordenar um vetor utilizando uma função comparativa personalizada. Por exemplo, supondo que temos um array de um ranking, que registra o nome e os pontos dos competidores. Pra ordenar pelo índice ‘pontos’, basta criar uma função para comparar os valores de dois cadastros diferentes e passá-la como parâmetro da função usort (note que o nome é passado como string).

function ordenaPontos( $a, $b ) {
    if ( $a['pontos'] == $b['pontos'] ) {
        return 0;
    }
    return ( $a['pontos'] < $b['pontos'] ) ? -1 : 1;
}
$ranking = array(
    0 => array( 'nome' => 'Davi', 'pontos' => 2 ),
    1 => array( 'nome' => 'Letícia', 'pontos' => 4 ),
    2 => array( 'nome' => 'Francisco', 'pontos' => 1 ),
    3 => array( 'nome' => 'Cecília', 'pontos' => 3 ),
)
usort( $ranking, 'ordenaPontos' );

No exemplo acima, preste atenção em uma outra pequena dica: eu sempre costumo deixar uma vírgula no último índice do array. Isso evita esquecê-la quando é adicionado um novo registro.

11. Substituindo a primeira ocorrência de uma string

As funções de substituição de strings, normais ou com expressões regulares, todo mundo conhece. Mas e se quisermos substituir apenas a primeira ocorrência de um determinado termo? A função preg_replace possui um quarto parâmetro que resolve esse problema. Ele funciona como um contador e irá substituir, como limite máximo, o valor especificado. (Ainda existe um quinto parâmetro, uma variável para armazenar a quantidade de termos substituídos)

$string = 'teste string de teste';
echo preg_replace( '/teste/', 'teste2', $string, 1 ); // 'teste2 string de teste'

Essas foram minhas 11 dicas de PHP.

Renato Lucena

Developer PHP, Laravel. Goiania-GO https://www.linkedin.com/in/renato-de-oliveira-lucena-33777133/

Você pode gostar...